O QUE É ASSEPSIA NA ODONTOLOGIA?

 

Biossegurança, ou assepsia na odontologia na Odontologia, é o conjunto de procedimentos adaptados no consultório com o objetivo de dar proteção e segurança ao paciente, ao profissional e sua equipe.

O único meio de prevenir a transmissão de doenças é o emprego de medidas de controle de infecção como equipamento de proteção individual (EPI), esterilização do instrumental, desinfecção do equipamento e ambiente, anti-sepsia da boca do paciente.

São essenciais a padronização e manutenção das medidas de biossegurança como forma eficaz de redução de risco ocupacional, de infecção cruzada e transmissão de doenças infecciosas.

Existem algumas definições que são importantes ter conhecimento:

– Assepsia: é o conjunto de medidas adotadas para impedir que determinado meio seja contaminado.

– Anti-sepsia: é a eliminação das formas vegetativas de bactérias patogênicas de um tecido vivo.

– Limpeza: é a remoção da sujidade de qualquer superfície, reduzindo o número de microrganismos presentes. Esse procedimento deve obrigatoriamente ser realizado antes da desinfecção e/ou esterilização.

– Desinfecção: é um processo que elimina microrganismos patogênicos de seres inanimados, sem atingir necessariamente os esporos. Pode ser de alto nível, intermediário ou baixo.

– Esterilização: é um processo que elimina todos os microrganismos: esporos, bactérias, fungos e protozoários. Os meios de esterilização podem ser físicos ou químicos.

 

 

assepsia-na-odontologia

 

O PROFISSIONAL PRECISA DE ASSEPSIA NA ODONTOLOGIA?

 

Também é muito importante, em relação a assepsia na odontologia, medidas de proteção do profissional e sua equipe, utilizando equipamento de barreira individual como gorro, avental, máscara, óculos de proteção, luvas.

O profissional e equipe deve ter imunização contra a Hepatite B, que é realizada em três doses.

Para prevenção da infecção cruzada na clínica odontológica, o profissional deve empregar processos de esterilização dos materiais e seguir rigorosamente todos os procedimentos destinados a manter a cadeia asséptica.

Pacientes com história médica de febre reumática, endocardite, próteses ou disfunções de válvulas cardíacas, etc., são mais susceptíveis à aquisição de infecções no consultório, devendo ser atendidos sob cobertura antibiótica. Pacientes com diabetes e imunodeficiências também são mais susceptíveis às infecções, devendo receber cuidados adicionais.

 

Fonte: Gazeta do Povo

SAIBA MAIS: :bulb:http://www.faculdadefuturo.com.br/cursos/tecnico/saude-bucal/